Pesquisar

Exercício para todos

PEDRO PEREIRA

Mês

Março 2016

Aulas/Treinos com crianças

IMG_1673

Para aulas com crianças em idades pré-escolares é necessário ter um conjunto de capacidades não só técnicas da modalidade mas sim competências sociais que facilitem a forma de liderar a aula. É importante começar a perceber como lidar com as birras, com os empurrões propositados, com as quedas e os choros exagerados.

Choros

Baseado na minha curta experiência, o choro é um acto que a criança tem para chamar a atenção, desta forma nós como profissionais de Educação Física devemos ser capazes de perceber quando intervir/dar importância ao choro ou desvalorizar.

Mariana de Viveiros relata o que fazer nestas situações com orientações de uma pedagoga e uma pediatra defendendo que deve haver uma “desprezoterapia” deixando a criança chorar mas estando atentos para que não se aleije porque algumas delas podem mesmo deitar-se para o chão ou bater com a cabeça; estas birras surgem para chamar a atenção; acrescenta ainda que é difícil os profissionais da educação lidar com isto na escola porque podem ser alvos de críticas, uma das estratégias a adoptar é no início do ano o professor mostrar imagens as crianças e delimitar o que podem ou não fazer, e confrontar as crianças com isso quando quebram as regras. A estratégia apresentada poderá funcionar bem nas crianças a partir dos 3 anos, quando as crianças já começam a falar e a ter uma maior compreensão das regras.

Em suma, o trabalho/aulas/treinos com crianças nunca foi fácil nem nunca há de ser, no entanto quando é isso que se gosta de fazer tudo se torna fácil de por em prática, e quando se gosta do trabalho que se faz, não estamos a trabalhar, estamos a fazer o que gostamos!

Bons treinos.

Pedro Pereira

 

Referências Bibliográficas:

VIVEIROS, M. Eu quero, eu quero, eu quero! Revista Infantil. Obtido a 3 de Março de 2016 em http://revistaguiainfantil.uol.com.br/professores-atividades/101/imprime224837.asp

 

Tudo em Nós Comunica

 

No mundo do fitness, mais propriamente no mundo do Personal Trainer, cada vez se dá mais importância ao que transparecemos para os clientes. Assim sendo, torna-se necessário e  essencial revermos a nossa imagem e os nossos gestos.

Segundo Mehrabian (1971), 55% da comunicação que nós fazemos no nosso dia-a-dia é de linguagem corporal, ou seja, a nossa roupa, o nosso cabelo, os nossos gestos, tudo o que caracteriza a nossa imagem aparentemente. 38% da comunicação é feita através da nossa voz, não do conteúdo mas sim das características da voz, o tom, as alterações do volume, a fluidez. E apenas 7% da comunicação que estabelecemos é conteúdo, ou seja, o sumo de uma conversa. Desta forma, torna-se essencial e primordial revermos a nossa imagem e os nossos gestos, porque afinal de contas “Tudo em nós comunica”.

De forma a dar alguma lucidez sobre o que estou a abordar mostro no link abaixo um breve exemplo de como dar uma palestra visando apenas os 92% da comunicação referenciado por Mehrabian (1971). É incrivel a capacidade com que o orador nos “prende” ao seu discurso, até parece que está a falar de algo efectivamente importante e fundamentado.

 

Foquem-se no essencial,

Bons treinos.

Exemplo TEDx (palestra): https://www.youtube.com/watch?v=8S0FDjFBj8o

Exemplo Palestra sobre Brending Pessoal:  https://www.youtube.com/watch?v=7pFLl8SRh1U

 

Referências Bibliográficas:

Mehrabian, A. (1971). Verbal and nonverbal interaction of strangers in a waiting situation.
Journal of Experimental Research in Personality, Vol 5(2), 127-138.
Palestra sobre Brending Pessoal (Teresa Calisto) em Jornadas de Marketing ISCAP disponivel em: https://www.youtube.com/watch?v=7pFLl8SRh1U

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑